mardi 31 juillet 2012

Comme un avion sans aile

Olhar as buscas que trazem as pessoas a meu blog é uma das coisas que mais faz rir na vida. Algumas dignas de nota, dos últimos dias, comentadas, para entreter vocês enquanto eu passo as próximas 48 horas em trânsito e sem postar:

gifs animados de amor (tem ALGUM gif animado nesse blog, meu Jesus???)
aidéticos hiver volta redonda (oi??)
aproveitando dos nao componentes da carcaça ovina (GEMT!!)
as vezes um pe na bunta fais bem para agente seguir a vida (mensagem subliminar ortograficamente incompetente?)
after gay terca feira juin (opa! puxa uma cadeira aí, porque papo guei é aqui mesmo!)
blackberry desmontar (posso até oferecer um tutorial, mas é melhor jogar fora e trocar por um android)
cair com mesmo joelho várias vezes (bem-vindo ao meu blog: você certamente está no lugar certo!)
criança a andar de bicicleta e cai gif (tá... saquei pra onde isso tá indo, mas isso aqui não é estoque de gifs, gemt!)
fofinha traduction (er...)
ghetto ny arquitetura (acho que você está procurando meu outro blog)
bicicleta dobrável minúscula (tudo bem que eu sou baixinha, mas vá à PQP!)
novela com prato coup blanc (tá... vamos tentar de novo?)
plomberie (opa! novamente, lugar certo!)
potinhos de vidro country (um potinho que dança quadrilha??)
rasteira kansas (um novo tipo de arte marcial?)
roupas caipira rainha da pipoca (tá... estou começando a ver um padrão aqui...)
como fazer um óculos para teatro (também não sei... mas quando você descobrir, porfa, me avise - mas não UM óculos; prefiro o par completo)
como troca a lampada do milha do idea? (olha, você quase deu sorte, porque eu manjo de carro, sim, mas não manjo de Fiat, não. Sorry.)
(geaetd.org (você usa um sistema de busca do Linux???)
tour marques concha y toro (opa! cachaça é aqui mesmo!)
onde encontrar produtos sem gluten em quebec, qc, canada (no blógue eu realmente não dou muitos detalhes sobre isso, mas poderia te dar mil dicas por e-mail, gatx)
http://geaetd.org (ah, cê tá de brincadeira, né, amigo?)
banksy montreal (meu coraçãozinho fica tão feliz...)
concombre lysergiques (bem loko, quelqu'un?)
hamburguer com vela aniversario (obrigada, eu também acho bolo um troço hiperestimado)
jose guadalupe posadas (ah, gente, assim meu coraçãozinho ferve!)
misantropia endorfina (a minha gera; e a sua?)
receita de pastel de carne seca (ceis são tudo gordinho, hein? pqp!)
vestidos de noiva curtos na frente e médio atras (você é cafona bagarai, hein?)
cromesqui de língua defumada (casa comigo???)

lundi 30 juillet 2012

Repas boogie wouah

Depois de um almoço delícia, mas rápido demais (e um em que eu estava em um momento nuvem-negra) com a Juju Barros mais linda do mundo, com direito a saudades maiores do mundo e catarse ainda maior... eis que eu atravesso a cidade para voltar ao meu médico (e ganhar novas receitas de antibióticos, porque não está fácil para ninguém, amiguinhos!)... e re-atravessar a cidade de volta para casa para tentar fazer caber uma tonelada de tranqueiras em duas malas obviamente pequenas demais para uma tonelada de tranqueiras. Lá pelas 7 da noite, meu humor já estava lá no fundo de algum oceano, onde habitam aquelas criaturas cegas e horrivelmente assustadoras. Eu odeio dias assim (dias assim = véspera de ir embora).

Mas tem prêmio de consolação.

Guinness, conhaque, single malt, e comidinha feita em casa, especialmente para mim: risotto de cogumelos, carne. E a companhia de quatro pessoas queridas: o anfitrião e sua Respectiva, o cozinheiro, e o animador oficial das festinhas.

Nada mal para uma última segunda-feira. Nada mal e o que há de melhor. Tem mais daqui umas vinte e oito segundas-feiras. A cada vinte e oito segunda-feiras infinitas.

Yeah, I'm good. Let's just keep that comin'

dimanche 29 juillet 2012

La haine c'est l'amour fâché

Pessoa se faz de difícil. Às vésperas da minha partida, resolve dar o ar da graça. Almoço combinado, com mais algumas pessoas. Sou chata e sou pontual. Chego no restaurante às 13h em ponto (conforme o combinado) com um dos amigos já a tiracolo (oi, sou a tia da carona). A outra chega logo depois, com seu marido. E o dito que combinou tudo... nada.

Uma hora e quinze de atraso. UMA HORA E QUINZE. Justificado? Estava assistindo a Batman Begins (ou seria o Dark Knight?; whatever) em DVD. Em pleno domingo de manhã. Não conhece o botão de "pause" e fez todo mundo esperar uma hora e quinze no rodízio de comida japonesa. E eu, com a cabeça a ponto de explodir, claro, já tinha comido shimeji, temaki etc., mas a fumacinha negra ainda estava rolando solta...

Comemos, conversamos, esticamos para a padaria, para um café-barra-sorvete. O "almoço" acabou às 6 da noite (6 da tarde ou 6 da noite? acho que noite, porque é inverno...). Na despedida, o atrasado me consola com meio quilo de goiabada cascão e a promessa de um pote de doce de leite com côco. Porque só assim para a gente conseguir manter esse tipo de amizade.

Filed under: amigos mineiros.luv

samedi 28 juillet 2012

Chanson simple

Sábado à noite. Ninguém com nada planejado - nem eu. Mensagem de o-que-você-vai-fazer-hoje-à-noite-nada-bora-prum-jantarzinho-a-que-horas-agora-vem. Você vai para a casa de pessoas que mal conhece, para um jantar de casais. Os anfitriões cozinham muitíssimo bem. Casal aqui, casal ali. Vinho, comida, mais vinho, sobremesa. O casal de anfitriões, meio que recém-casados, ainda me dão uma lembrancinha do casamento (casamento a que eu não fui). Casais, casais. Pouco depois da meia-noite, o amigo que me convidou sugere que é hora de ir para casa. E vamos. Cada um para a sua. Friends with real benefits.

jeudi 26 juillet 2012

Voyons donc!

Bate-boca com Gabi Aline.

Uma foto: a estreia oficial dos meus óculos novos (depois da pré-estreia fracassada).

Habemus oculos (sic)
(Agora vocês já sabem o que fizeram com as garrafas de guaraná Taí depois que a Coca-Cola veio com essa coisa de Kuat. Meus cinco graus negativos para longe agradecem a Santo Expedito pela graça alcanç visão fodida.)

Um chá: oolong de Taiwan.

Um ensinamento: como *não* se comportar aos vinte-e-tantos anos.

Um aprendizado: a diferença entre sexo e masturbação supervisionada (olha o visitor count do blog aumentando loucamente em 5, 4, 3..)

Um momento: o Hare Krishna da Henrique Schaumann tentando me dar um livro sobre... KARMA!

samedi 21 juillet 2012

Voyons donc?


Óculos novos, roupas, cosméticos, livro, sapatos, almoço, teatro, conversas noite adentro. A maior parte dos meus problemas foi resolvida ontem. Mas será?


Oito dias atrás. Acabo de sair da ótica onde havia mandado fazer meus óculos novos, toca meu celular. "Oi, Aline. É que eu coloquei o pedido para as lentes dos seus óculos e vi que eu cometi um erro... É que, se fizermos essas lentes que você escolheu, a lente do olho esquerdo vai ficar muito grossa, para fora da armação [leia-se: fundo de garrafa], pelo seu grau para longe ser muito alto [leia-se, novamente: fundo de garrafa]... O ideal seria fazer aquela lente mais cara, que é mais fininha, e que, aí sim, vai caber direitinho na armação [armação que, diga-se de passagem, é grossa bagarai]. Sai 100 reais a mais. Tudo bem.?"

Tudo, né. Cega do cacete, eu.

Hoje à noite, durante a peça, eu vendo a Maria Luísa Mendonça ao lado de um borrão. Hm. Bora devolver os óculos na segunda-feira... Mrgrphmrpgh.

Essa novela não vai acabar nunca.

vendredi 20 juillet 2012

Trois ombres

Aniversário está durando quase dois meses. Eba!

Para eu cumprir a promessa que fiz à Manoela.

Junto com o livro (eba!), a Cassy também teve que me dar dicas capilares básicas, do tipo "use condicionador!" Profundamente agradecida, mas ainda não sei bem o que é Moroccan Oil e para que demônios eu precisaria disso. As dicas que não atravessaram meu crânio, por um lado, foram devidamente registradas e serão adotadas (not? A ver.).

Horas depois, uma roda, com pessoas (queridas) que eu não via há anos e outras que são mais carne-de-vaca (mas igualmente queridas): uma conversa sobre rosa, azul Klein, alfaiataria, cós etc. Me dou conta de que minha paleta de cores deve ter uns 15 tons, no máximo, e que, para mim, "melancia" e "goiaba" são apenas frutas; nunca cores. (Servindo como redenção, conheço azul Klein porque sou fascinada por tons de azul e arte moderna/contemporânea - me julguem!)

No desespero que me bateu em consequência, viro para o fofolito ao meu lado, em prantos. "Eu não uso condicionador! Não sei a diferença entre rosa e fúcsia. E eu não tenho a menor ideia de o que seja um cós. EU NÃO SEI SER MENINA!"

Minha sorte (sempre) é que era o fofolito certo ao meu lado (sempre).

"Aline. Você sabe ser menina. Você não sabe é ser esposa."

C.Q.D.

Livros e frases de efeito me sendo oferecidos por pessoas queridas: salvando meu dia, desde 1983.

jeudi 19 juillet 2012

Maple leaves

Quem lê esse blógue (ou acompanhava o outro), mesmo que raramente, sabe que paciência é uma virtude que não me falta. Aliás, no geral, por incrível que possa parecer à primeira vista, é um troço que eu tenho de sobra. Até que.

Até que não.

Porque aí, no dia que eu recebo notícias pouco animadoras (como hoje), eu decido que #shitjustgotfuckingserious, de maneira geral e rola aquele cleansing espiritual com scotch-brite e amônia.

Porque tem coisa que falta, e tem karma que sobra. Sorte a minha que, ainda que só uma vez a cada cinco anos, bate um ventinho de sanidade e, puf!, ponho a vida de volta nos eixos.

Acabou o flood de posts-DR que tem rolado solto nos últimos meses. Vou derreter o troféu "Jó 2012" e me ocupar, além da limpeza espiritual, com leitura, trabalho e, sei lá, cortar as unhas do pé. Entre uma coisa e outra, prometo posts-catástrofe, mas no sentido divertido. Podem me agradecer depois.

This is la vie en rose, babes.
"Por que chilique? Por que reviravolta espiritual? Por que mimimi? Façavor, Aline!"

Façavor, que eu não estou fazendo cosplay da blogueira-mimimi (ainda). Não é mimimi, não, crianças. O dia teve: acupuntura, aquele tour básico pelo Sírio-Libanês e a uma ligação para a ótica. O saldo foi: minha dor no ombro continua firme e forte, eu provavelmente vou morrer de doença coronária nos próximos  3 anos e vou continuar cega por mais alguns dias, porque meus óculos ainda não ficaram prontos. Estou contente, estou relax, estou curtindo essa coisa de envelhecer com saúde.

Dica preciosa da titia: tá com colesterol alto? pressão alta? diabetes? Elimine da dieta: carboidratos simples, açúcar, gorduras trans, e alguns contatos do e-mail, da agenda telefônica do celular, da lista de amigos das redes sociais, MSN, Skype etc. e vem cantar com o titio Thom.



E garanto que essa amarração aí é da boa: traz sua saúde de volta em 3 meses. Mas tem que cantar com o tio Thom TODOS OS DIAS sem cortar os pulsos!

mercredi 18 juillet 2012

Nouvelle vague

Tem desses dias (quando dou sorte, como recentemente, são semanas...) que tem um monte de amor. Gente dizendo que me ama via Feicebrúque, Twister, telefone, pessoalmente. E aí, meu coraçãozinho derrete, em imagens technicolor, pra dar um ar mais romântico. No roteiro, algumas cenas (reais) são geniais.

Cena um:
Uma semana atrás, eu começo um rant aqui em casa (como sempre faço, em qualquer lugar), meio que do nada, sobre quanto eu odeio (a morte do objeto não põe fim ao ato) o Paulo Renato, aquele filho da puta que foi ministro da educação no governo FHC. (Não me importa o que vocês acham dele; eu era estudante de ensino fundamental, médio e graduação na época em que ele foi ministro, sofri com todas as sandices dele e tenho direito ao meu ódio inflamado. Sem falar que eu tenho essas aspirações a ser professora universitária - mais uma vez, ódio justificado. Que exista um inferno dantesco só para que ele possa queimar em todos os círculos.) Falei por alguns bons minutos, até ficar com tanta raiva que não consegui mais falar. Parei. E mei dei conta de que sequer sabia por que cargas d'água estava falando no puto do Paulo Renato, afinal.

Corta para anteontem. Pessoa vira para mim, completamente fora de contexto, e declara: "Então... e o Paulo Renato? O Paulo Renato é, tipo, meu inimigo número um!"

<3

Cena dois:
Sexta-feira, no bar, viro pra mesma pessoa, completamente atordoada, e pergunto: "Como chama mesmo aquilo ali?", enquanto aponto em uma direção genérica, para um canto lotado de pessoas e coisas.

"Aquilo o quê, mano??? Lambe-lambe?"

"AH! ISSO! Estava tentando lembrar o nome disso há horas e--"

Todas as pessoas ao redor em CHOQUE.

"Cara, mas você apontou numa direção genérica, tipo, pra lá... Quando for assim, especifica, porra!"

"Ah, mas eu sabia que você ia saber!"

Ao que a namorada da pessoa interrompe, "É claro que você ia saber. Vocês sempre sabem do que o outro está falando! Vocês tem uma coisa de sintonia que é incrível, assim! Sério. É impressionante."

<3

E é verdade. Essa namorada só não me odeia muito porque ela é uma lindona (é a namorada mais legal do mundo e eu não minto), e porque ela sabe eu cheguei primeiro (~rysos~) e que, dia desses aí, vou ser o best man (sic!) desse casório, afinal.

Mas uma das melhores coisas da vida é saber que a gente tem gente assim, para quem não precisa filtrar o ruído da conversa, porque a gente funciona na mesma frequência de white noise.


(Fim do trailer, e cai a ficha de que o amor ao vivo está acabando. Corações partem, lágrimas rolam, avião decola e, um dia, na cabeça de alguém, eu vou ser tão gata quanto a Anna Karina.)

mardi 17 juillet 2012

La chanson de la fée

Telefone toca. Não atendo. Nunca é para mim. Toca mais. De novo. Enlouquecidamente. Quando vejo que ninguém vai atender, me rendo.

"Alô."
"Quem está falando?"
"Aline."
"Aliiine! Puxa! Há quanto tempo! Você não vai adivinhar quem está falando! Não deve nem se lembrar de mim direito..."
"Sei, sim. É a Rita, não é?"
"!!!"


A Rita é minha madrinha, com quem eu não falo e de quem eu não tenho notícias há mais de vinte anos. Pois é. Estou legalmente cega, mas estou desenvolvendo super-poderes de audição. Vocês que me aguardem no cochicho de putaria no cinema. Tô escutando tudo, galëre! Se bobear, até pensamento.

Ah, e sei lá que diabos minha madrinha queria. No final das contas, ela queria mesmo falar com minha mãe. Ainda bem, porque, depois de tanto tempo, imaginei que só poderia ser pedido de doação de rim ou medula óssea.

Com sorte, na próxima ligação (daqui 20 anos?), descubro que ganhei alguma herança. Porque dinheiro e órgãos (ou material biológico) funcionais não vou estar tendo, não.


______________
P.S.: Blogger resolver foder com a configuração desse post de um jeito que eu sou incapaz de explicar. Já tentei desligar e ligar de novo, e nada. Se alguém tiver sugestões, be my guest.

lundi 16 juillet 2012

Point aveugle

Eu digo que não estou enxergando nada e vocês não acreditam. Já dei um exemplo de como estou vendo o mundo, mas vocês não põem fé, então, vamos a uns exemplos mais práticos: os últimos posts estão saindo com erros bizarros de ortografia que são só parcialmente justificados com minha burrice. Uns 30% deles (se não mais) se dão ao fato de eu não estar enxergando lhufas MESMO.

Ainda não acreditam? Então, sentem que lá vem...

Na sexta-feira (quando as trevas ainda não haviam chegado a SP e ainda havia um mínimo de luz solar na cidade), combinei de encontrar uns amigos e umas arrobas lá no Exquisito! Um dos motivos era a comemoração do aniversário do @danilotetra (aliás, parabéns, né, Danilo!).

Chego lá mais de uma hora depois do combinado e saio à procura do Danilo. A meia-luz do bar não estava contribuindo nem um pouco para minha busca. Passo por todas as mesas, praticamente enfiando meu rosto na cara das pessoas para ver se achava a arroba aniversariante. Nada. Pergunto pro segurança. Nada.

Nisso, já tinham se passado mais uns 40 minutos. Não é possível que as pessoas iam estar tão atrasadas assim! Uma hora e quarenta? Não pode ser!

Sem o telefone de ninguém em mãos, restava esperar que meus amigos chegassem para (com suas visões 20/20) procurar as pessoas para mim (de um jeito menos creepy que praticamente sentar no colo delas para enxergá-las) ou me conformar que tinha tomado bolo de várias arrobas.

Mas eis que me bate uma ideia genial: posso pedir pra hostess me ajudar a localizar as pessoas. Vou até ela, já meio resignada:

"Oi! É... é o seguinte. Eu estou com um probleminha de visão e não estou enxergando nada. Posso pedir sua ajuda? É que estou procurando um amigo, que já deve ter chegado há mais de uma hora, mas não estou conseguindo encontrá-lo. Ele é cadeirante e--"

"Nossa, moça! Mas você não deve estar enxergando nada MESMO, hein?!"

Isso, amiga. Me insulta, que é disso que eu estou precisando. Levo bolo das arrobas e ainda sou zoada pela tia da lista de espera!

Ligo pro Goommer desesperadamente. "Vem logo, que estou precisando dos seus olhos." Ele acha que é o início do apocalipse zumbi, óbvio.

Quando ele chega, começo a contar minha história. "Então, preciso dos seus olhos porque não estou enxergando nada!" Nesse exato momento, a hostess passa ao lado de nossa mesa e se lembra da deficiente visual que vos escreve. "Moça, acho que seu amigo acabou de chegar. Ele está ali naquela mesa, ó."

Levanto e vou até lá conhecer as arrobas. Goommer e eu nos juntamos a eles. Mais tarde, TOk e S. chegam para salvar o fim de noite. E eu, à base de antibióticos e à espera dos óculos que vão salvar minha vida, voltei para casa, às duas da manhã, dirigindo. Porque meu santo é forte e meu carro já sabe o caminho de volta para casa.

dimanche 15 juillet 2012

Y'a qu'un ch'veux, y'a qu'une dent

Cabeleireiros e dentistas tem, de certo modo, papeis bastante similares na minha vida. Visito ambos, a contragoso, de uma a quatro vezes ao ano. Nunca tenho nada demais a fazer, mas sempre que decido ir a um ou a outro é porque acho que estou à beira de uma enorme catástrofe estética. Exigência básica para meu cabeleireiro ou dentista: estar disponível in short notice.

Uso a mesma quantidade de produtos e apetrechos nos cabelos e nos dentes (sempre dando preferência para produtos orgânicos e que não tenham sido testados em animais, porque sou politicamente chata). Isso quer dizer que eu cuido bem pouco dos meus cabelos e talvez demais dos meus dentes e gengivas. (Já contei para vocês que estou vivendo há mais de vinte dias sem uma escova de cabelos? Go ahead. Me julguem. Mas venham dar um olhada na minha boca livre de cáries e afins. Booyah!)

Quando vou ao salão ou ao consultório, entro muda e saio calada. No primeiro por opção (não trabalho fofoca de salão de beleza); no segundo, por falta de (ou será que alguém consegue falar enquanto tem uma pessoa com as duas mãos dentro da sua boca?? Ok, prefiro não saber.). Nos dois, gasto muito, muito mais do que gostaria de/posso pagar. Saio dos dois com recomendações de super-produtos que eu juro que vou comprar mas cujos nomes eu faço questão de esquecer assim que me dirijo de volta para casa.

Sempre volto para casa um pouco frustrada, olhando para o resultado do trabalho e me perguntando quanto tempo será que vai demorar para meus cabelos/dentes e gengivas voltarem ao normal. Mas sempre que olho em volta, na sala de espera de um e de outro, percebo que, apesar de tudo, ainda estou bem melhor que 90% das pessoas.

Passados alguns dias das minhas visitas aos dois profissionais, agradeço ao design inteligente por serem os cabelos (e não os dentes) a crescerem de volta - e é essa, além da funcional, a diferença fundamental entre os dois, afinal -, porque a tesoura vai ter que rolar sem dó aqui nessa pelúcia.

samedi 14 juillet 2012

Concombre

Porque, há anos, o especial do dia é sempre o mesmo na minha vida. PQPeu.


_________________________
Um P.S. rápido para apontar a piada-pronta que foi eu estar almoçando ao lado da Christiane Torloni ontem, no Paris 6. Nunca encontro celebridades (se encontro, não as vejo, porque sou míope e astigmata), mas, justo ontem, 13 de julho, fui ver justamente (redundância proposital) Chris Torloni. Só acontece comigo. 13de julho, GEMT. Quis MUITO gritar, mas me controlei.

P.P.S.: Vou ter umas coisas mais surreais a postar depois que recuperar minha visão. Por enquanto, tá foda. Bear with me, babes.

vendredi 13 juillet 2012

Protège-moi

Várias pessoas que eu conheço apagando vel(h)inhas hoje. Uma delas foi a primeira a me desejar feliz aniversário esse ano, em uma mensagem que disse exatamente todas as coisas que eu estava precisando ouvir (ler). Alguém que talvez não saiba, mas salva minha vida quase diariamente.

Em troca, só posso desejar as melhores coisas do mundo. Tem coisas que eu só poderia desejar da boca para fora, como aspirações. No lugar disso, para tentar retribuir todos esses anos das melhores coisas da vida, prefiro desejar as coisas que eu, felizmente, tenho de sobra e que quero muito dobrar bem pequenininho e enviar por carta, via aérea (para tomar vento): sorte e força.

Porque não adianta ter dedicação e competência se a gente não tiver sorte. Isso eu aprendi na marra. E, mesmo com toda a sorte do mundo, tem hora em que o saco de farinha explode na nossa cara. E é sempre logo depois de a gente cair na piscina. A vida dá umas gelecas de que a gente não consegue se livrar tão facilmente. Nessas horas, a gente precisa de força.

Não sei se eu posso ser grande o suficiente para te ajudar a desviar de todos os golpes, mas acho que consigo ficar pequena o suficiente para ser um amuleto.

Se isso bastar, é o que desejo para nós.

Filed under: #Feliz31

mercredi 11 juillet 2012

Myope et sourd

Hoje ficou comprovado que eu estou, de fato, enxergando o mundo assim. É sério (!!).

... E ainda precisei de uma ajudinha extra para voltar a ouvir o mundo plenamente.

Filed under: Helen Keller.

mardi 10 juillet 2012

L'amitié

Homegirl M.B.* e eu continuamos, hoje, uma conversa que tinha parado há mais de quatro anos. Foi como se o tempo não tivesse passado e como se ainda estivéssemos em NY. Talvez o ambiente do Spot (juntamente com o serviço lastimável) tenha(m) contribuído para dar esse clima.

SP tratando a gente tão mal quanto NY, mas a preços londrinos.

________________________
*M.B. foi uma das melhores roommates que eu tive, ainda no meu primeiro ano em NY.

dimanche 8 juillet 2012

Viens voir le docteur

Domingo, véspera de feriado. Manhã de chuva. Laboratório de análises clínicas e de imagens. Recepção. Cadastro. Sala de espera. Outra sala de espera. Preperação. Aventalzinho. Médica entra na sala de exames RUMINANDO GOMA DE MASCAR.

Saio correndo ou espero para ver o que a doutora ruminante tem a dizer sobre os erros de configuração do meu encanamento orgânico?

Obviamente por falta de opção ainda tive que escutar, entre uma mascada e outra, juízos de valor sobre a condição dos meus ovários (se é que eles merecem ser chamados assim).

A vida tá bonita pra quem hoje?